Amor, ternura e espiritualidade!

Estimados irmãos e irmãs em Cristo Jesus! Quer tenhamos alguns anos de vida ou quem sabe a experiência de muitos dias vividos, nos pequenos passos de cada dia, em meio às alegrias e provações, o mês de maio nos convida a celebrar o dia das mães. É uma oportunidade que os filhos têm para manifestar gratidão a Deus pela mãe que os acolheu para a vida, quem sabe em meio a tantas provações e incertezas. Mas é também um momento para despertar da indiferença o nosso coração filhos, em relação àquela que, aos poucos, foi consumindo suas forças e sua vida, para que pudéssemos crescer e percorrer a estrada da vida “com os próprios pés”. 

 

Como Igreja, comunidade de fé, trazemos presente a figura da Bem-Aventurada Virgem Maria, mãe de Jesus, da Igreja e nossa, que, através do seu “sim” a Deus, acolheu no seu coração o “Verbo”, vivendo a sua maternidade com amor, sendo fiel servidora do Senhor.  A figura materna da Virgem Maria, mãe amorosa e dedicada à família e a Deus, serviu e serve de modelo, também para as mães do nosso tempo. 

 

Mesmo levando em consideração as profundas mudanças que aconteceram na sociedade e que fragilizaram a estrutura familiar, é importante trabalharmos a conscientização dos valores da família. A família como espaço onde se acolhe a vida humana, se recebe carinho, afeto e amor, valores básicos para qualquer ser humano que vem a este mundo. 

 

O Papa Francisco, ao anunciar o “Ano da Família”, lembrou que: "Na família é possível experimentar uma comunhão sincera, quando esta é uma casa de oração, quando os afetos são sérios, profundos, puros, quando o perdão prevalece sobre as discórdias, quando a dureza cotidiana da vida é suavizada pela ternura mútua e pela serena adesão à vontade de Deus" (27 de dez. de 2020).

 

Mesmo em meio às fragilidades e provações que a realidade nos apresenta, a família deve ser sempre valorizada como lugar e berço de amor, escola de comunhão, fonte de valores humanos e cívicos, lar onde a vida humana nasce e é acolhida generosa e responsavelmente. A beleza da família pode ser testemunhada através de uma convivência marcada pelo amor entre os pais e com os filhos, e na corresponsabilidade de fazerem do lar, um lugar sagrado, que acolhe e defende a vida em toda a sua dignidade. Com as mudanças históricas que aconteceram na sociedade, “os laços familiares foram e continuam sendo duramente colocados à prova, mas permanecem, ao mesmo tempo, o ponto de referência mais firme, o apoio mais forte, a proteção insubstituível para a estabilidade de toda a comunidade humana e social” (Papa Francisco).

 

Por intercessão de Nossa Senhora de Caravaggio, nossa mãe, rainha e padroeira de nossa Diocese, abençoe-vos o Deus todo poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

Bispo Diocesano de Caxias do Sul