Lembranças de amor e afeto!

Estimados irmãos e irmãs em Cristo Jesus! Como Igreja, Povo de Deus a caminho da casa do Pai, nos unimos em oração para celebrarmos o 1º Dia Mundial dos Avós e dos Idosos, neste último domingo do mês de julho.

 

E o nosso amado Papa Francisco escreveu uma mensagem muito bonita para lembrar esta data tão significativa na vida de milhões de pessoas. Ela começa com as seguintes palavras: Queridos avôs, queridas avós! E lembra a promessa que o Senhor fez aos discípulos, antes de subir ao céu: “Eu estou contigo todos os dias” (Cf. Mt 28,20). Esta mesma afirmação, o Senhor faz diariamente ao vosso coração, queridos avós e idosos. 

 

Neste momento, muitos de vocês sentem o peso do distanciamento e do isolamento social, da falta do encontro com os amigos, do abraço dos filhos e netos, de um caloroso aperto de mão, do encontro na comunidade para celebrar a vida de fé com os irmãos e irmãs, da roda de chimarrão, regada pelas boas histórias que foram sendo construídas nos passos da vida, e que vocês guardam na mente e no coração, porque foram e continuam sendo importantes para vocês. Como Igreja, comunidade de fé, queremos estar ao seu lado e manifestar a nossa solidariedade. Não podemos esquecer que vocês foram duramente provados pela tempestade da pandemia, inesperada e furiosa, nos recorda o Papa Francisco. Muitos avós e idosos adoeceram e um grande número deles partiu. Pessoas e famílias foram privadas dos seus entes queridos de forma inesperada. Muitos casais perderam o cônjuge, com quem partilhavam um espaço no coração e muitos anos de vida. Muitos filhos perderam os pais, e levam no coração as marcas de um adeus prematuro e inesperado, que às vezes é difícil de compreender e aceitar como parte da vida.

 

Queridos irmãos e irmãs! No ciclo da vida, todos nós precisamos do amor e da ternura de quem nos acolhe no mundo e de pessoas que nos ensinem a conhecer, nos pequenos gestos e através de pequenos passos, as luzes e as sombras presentes na história da humanidade. Os nossos queridos avós e idosos trazem na mente e no coração, a sabedoria da vida, que é ponte entre as gerações, entre o passado e o presente. E, mesmo feridos pela dor da perda, de pessoas que vocês amavam, não devem deixar de cultivar os “sonhos, manter viva a memória e a vida de oração”. A proximidade com os seus e com o Senhor lhes dará a força para continuarem a jornada da vida, com amor, fé e esperança. De coração, quero parabenizar os nossos queridos avós e idosos, nesta data tão significativa para eles e para a Igreja, comunidade de fé.

Bispo Diocesano de Caxias do Sul