O domingo da alegria e a dor do pranto

Neste quarto Domingo da Quaresma, também chamado de “Domingo da Alegria”, temos a oportunidade de olharmos o caminho quaresmal percorrido, à luz da misericórdia de Deus, e refletir sobre os passos que foram dados na nossa vida de fé, que respondem ao apelo de conversão que Deus faz ao nosso coração de filhos e filhas neste tempo de Quaresma, em preparação à celebração da Páscoa do Senhor Jesus Cristo.

 

Depois de percorrermos a metade do caminho quaresmal, vemos acentuar-se o lamento de dor, que se eleva do coração e dos lábios daqueles que perderam seus entes queridos diante desta pandemia que se arrasta há praticamente um ano e tem atingindo milhares de pessoas e famílias, e a sensação de que nos resignamos diante da dor que toca a vida dos outros.

 

A realidade que estamos vivendo, submetidos a uma dura prova, nos convida a olhar com novos olhos a nossa existência, a olhá-la com esperança, através dos olhos de Jesus, o “autor da esperança”. Queridos irmãos, em nosso caminho penitencial em preparação para a Páscoa, precisamos aprender bem o que significa crer em Deus. É esta a mensagem central da Quaresma: por isso somos convidados a mergulhar no Mistério de Deus, para que possamos redescobrir a graça do crer num Deus que ama e é Pai misericordioso.

 

Nesse momento em que tudo parece diluir-se e perder consistência, corremos o risco de nos tornarmos inseguros, ansiosos e oprimidos pelo medo, diante das provações, ao invés de confiarmos na graça de Deus, na sua presença amiga, misericordiosa, protetora, confortadora, manifestada pelo seu amor de Pai, em relação a nós filhas e filhos amados.

 

Querendo anunciar e levar salvação aos homens, Jesus desceu entre nós, fazendo-se um de nós, para partilhar a nossa existência com a sua luz e as suas sombras, até a aceitar a loucura da cruz. As condições para aceitar e deixar a “luz” divina destruir as trevas que habitam dentro de nós, e, às quais muitas vezes estamos bastante apegados, estão ao nosso alcance, porque o Senhor Jesus continua caminhando conosco, em cada passo da nossa vida, mesmo naqueles que nos ferem fisicamente e espiritualmente.

 

Nos passos da nossa história, podemos contemplar o amor e a ternura de Jesus, em cada pequeno gesto de bem e em cada grande provação que marca e fere os corações humanos. Mas somente poderemos perceber essa graça, se tivermos no coração a fé e a esperança de que não estamos sozinhos, o Senhor caminha ao nosso lado, e a sua presença é bálsamo que cura os nossos corações feridos. Com ele, podemos fazer a partilha solidária da nossa dor, das nossas incertezas, dos nossos medos, da nossa alegria e da esperança que renovamos no nosso coração com a aurora de cada novo dia.

Bispo Diocesano de Caxias do Sul