Ato realizado no sábado, 28 de agosto, reuniu lideranças da comunidade, catequizandos, familiares e diversos sacerdotes; o frade homenageado é filho da Paróquia e faleceu em 1996

 

No sábado, 28 de agosto, a Paróquia São Jorge, do município de mesmo nome, realizou o ato de inauguração da "Sala Frei Bernardo Cansi", localizada em espaço anexo à Igreja Matriz, local onde acontecem as reuniões dos diversos setores da pastoral e também os encontros de catequese.  A cerimônia reuniu autoridades religiosas e civis, setores da pastoral, catequistas, comunidade e familiares do homenageado.

 

Após o descerramento do quadro com a foto e da placa que dá nome à sala, fizeram uso da palavra familiares, lideranças do conselho paroquial, catequistas e catequozandos, além do pároco, padre Igino Tonon, do vigário episcopal do Vicariato de Nova Prata, padre Álvaro Pinzetta e o pároco da paróquia São Pedro, de Guabiju, padre Valdemar Pagnoncelli. O idealizador, padre Igino, encerrou o ato com a bênção.

 

Histórico do frei Bernado Cansi
 

Firmino José Cansi nasceu em 03 de julho de 1937, na comunidade São Jorge, também conhecida como Paiol Queimado, em São Jorge/RS. Filho de Alexandre Cansi e Irene Maria Albarelo Cansi.  Por ali cresceu, ajudando nas atividades de casa e iniciou seus estudos. Em 01 de março de 1951, aos 14 anos, ingressou no Seminário Santo Antônio, de Vila Flores, e, posteriormente, transferiu-se para o Seminário Seráfico São José, Veranópolis. Em Flores da Cunha, fez o noviciado e a profissão, como frade capuchinho no dia 25 de janeiro de 1957. 


Foi ordenado presbítero, no dia 02 de janeiro de 1966, em São Jorge, por dom Cândido Maria Bampi. Na Província do Rio Grande do Sul, atuou na pastoral paroquial, em Porto Alegre. Em 1970 transferiu-se para a Província do Brasil Central e trabalhou em Brasília/DF, Campo Grande/MS, Coxim/MS e Ceilândia Sul/DF, onde foi assessor nacional de Catequese da CNBB.

 

Dedicou-se com entusiasmo à Liturgia e à implantação da Catequese renovada em todo Brasil, sendo destaque nacional nesta área. Escreveu 23 livros e mais de 40 artigos em revistas nacionais e estrangeiras. Membro da academia de letras de Brasília/DF. Foi quem deu início à Missa dominical pela TV Brasília e a Ave-Maria pela Rádio Planalto. Exerceu também, diversos cargos/serviços na Província.


Em 1995 foi a Roma/Itália para cursar o mestrado em Catequese na Universidade Salesiana. Já em meados de 1996, quando se preparava para o Doutorado, descobriu um câncer no estômago. Regressou ao Brasil para tratamento e faleceu em 31 de agosto de 1996. Foi sepultado no jazigo dos Frades Capuchinhos, em Brasília/DF. Estava com 59 anos de vida, 39 de vida religiosa e 30 de presbítero.

 

Com informações da Paróquia São Jorge